Pesquisar neste blogue

quinta-feira, abril 09, 2015

leão.

vim embora sem olhar para trás.

pensei em escrever-te assim que saí. pensei em saber de ti e tentar ouvir novamente aquele nome que me chamavas, de forma tão carinhosa.

lembrei-me depois das mensagens anónimas que me deixaste. tentei visualizar o que disseste, mas não fui capaz

tal como o teu rosto

sei agora que o meu sorriso é feito de momentos: o teu cabelo ao vento, a música a tocar no rádio que me ofereceste

e nós tão felizes e sem saber o que viria depois.

já não sei mais como chamar-te, tentei sonhar contigo e não resultou. tentei imaginar o teu rosto e é-me cada vez mais dificil desenhá-lo na escuridão do quarto. e a tua voz, essa, continua bem gravada no meu peito, misturada com o teu riso tímido de quem me chamava menino

sem saber que haveria de ser o homem que te deixou ir.

Sem comentários: